Encontro Ágil 2008

by

Neste sábado, dia 11 de outubro, eu e o Joemir fomos ao Encontro Ágil. Este é um evento gratuito sobre desenvolvimento ágil de software. O evento aconteceu no IME-USP, Institudo de Matemática e Estatística da USP. Os professores do IME foram um dos primeiros a abordar o XP e as metodologias ágeis dentro das universidades, criando inclusive uma disciplina dentro do curso de ciência da computação.

O evento foi organizado pela Agilcoop. Criada em 2005, a Agilcoop é uma cooperativa de alunos, ex-alunos e professores do IME. Eles disponibilizam muito conteúdo no site deles (www.agilcoop.org.br). Muito boa a iniciativa deles, produzindo conteúdo que possa ser utilizado por outras pessoas, espalhando o conhecimento sobre as metodologias ágeis.

O conteúdo das palestras foi muito bom e a organização também. Teve até almoço e coffee-break, hehe…
Irei comentar um pouquinho sobre as palestras que assisti.

Planejamento Ágil de Projetos

O Dairton falou sobre como podemos planejar um projeto ágil, quais as características e benefícios deste tipo de planejamento.Palestra muito boa!

Ele mostrou o principal problema do planejamento tradicional que é o fato de planejarmos tudo que iremos fazer em detalhes no início do projeto, justamente o momento que conhecemos menos do que devemos fazer.

Mostrou também algumas causas para falhas nos projetos atuais e como podemos planejar um projeto de forma ágil. Vale a pena dar uma olhada na apresentação dele, foi muito boa!

Debate sobre CMM, RUP X metodologias ágeis

Este debate foi bom e como em todo debate encontramos opções variadas. Resumidamente, minha opinião sobre este assunto é:

CMMi é um selo muito bom para empresas que desejam desenvolver software aqui ou no exterior. Porém, muitas empresas não focam em qualidade, cliente bem atendido e só no procedimento. Aí, o CMMi vira um elefante branco. E o mesmo pode acontecer com as práticas ágeis, principalmente se as pessoas que estão implementando não acham a simplicidade do processo algo importante.

Acho que não podemos dizer que o CMM e RUP não prestam para nada e metodologias ágeis são o futuro, embora eu goste muito mais das metologias ágeis. As metodologias ágeis estão à frente em um quesito, a satisfação do cliente em primeiro lugar.

Seja para RUP, XP, Scrum ou CMM, temos que nos esforçar em produzir métricas que indiquem o quanto de valor e qualidade estamos entregando para o cliente, e não se estamos fazendo certo ou não uma determinada tarefa.

O debate foi polêmico, bem conduzido e muito agradável de assistir.

Dificuldade na implantação de métodos ágeis
O professor Dr. Fabio Kon do IME fez uma apresentação das dificuldades encontradas na apresentação dos métodos ágeis. Ele já trabalha e estuda métodos ágeis desde 2001. Nesta apresentação ele iria apresentar somente problemas e não soluções.

Resumidamente, os problemas encontrados são: Apoio de instâncias superiores, a equipe não quer implementar, iteração com outros departamentos e clientes que não conhecem ou estão adaptados ao uso do XP.

A maior parte das dificuldades não estão relacionada ao código, tecnologia ou metodologia e sim as pessoas. É muito importante se preocupar com elas e como elas enxergam a metodologia que está sendo implantada.

De negativo somente o fato que ele focou muito em XP, polemizando com Scrum e outras técnicas. Acho que não se deve levantar a bandeira que somente o XP é bom, RUP é ruim, Scrum é mais ou menos. Temos que enxergar os benefícios que cada técnica traz.

Bate-papo sobre testes automatizados

O Jorge Diz da Globalcode estava fazendo uma apresentação sobre Desconfiométricas. Ele é um bom palestrante, já havia visto uma palestra dele no OpenTDC. Algo muito importante em sua palestra é o que ele diz que mais do que focar em métricas, temos que entender qual a dinâmica do processo, para saber realmente quais informações devem ser medidas.

Depois iniciou-se um debate sobre testes e testes automatizados. Foi um debate morno em que era possível ver que todos possuem problemas em criar e principalmente manter os testes automatizados. E de acordo com o perfil e a posição que defendiam, era possível ver aqueles que eram testers e os desenvolvedores (hehe).

Não ficamos para a última palestra, mas o evento foi muito bom e podemos ver que muitas pessoas estão interessadas e estudando o assunto.

Até mais,

André

Uma resposta to “Encontro Ágil 2008”

  1. Fabrício Ferrari de Campos Says:

    Realmente, metodologias ágeis é um dos temas mais polêmicos, atualmente. E tal polêmica deve-se ao fato da mudança de visão que ela traz, na qual o desenvolvimento de software estaria mais para a escrita de um livro do que para a construção de um prédio.
    Mas como sempre, não podemos ser radicais e “cuspir no prato”, o interessante de tudo isso é buscar adaptar o nosso processo de acordo com o que há de melhor em cada uma dessas metodologias.

    Parabéns pelo post André!

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: