Sun Tech Days

by

Foram dois dias de evento em primeiro momento houve a recepção de boas vindas em seguida uma explicação geral e demonstrações sobre alguns dos temas que seriam abordados nas demais palestras dentre os quais destaquei aqueles que mais me interessaram e onde pude assimiliar mais conhecimento. Fiz uma explicação rápida e resumida sobre estes assuntos e os pontos que achei mais interessantes.

EJB 3.1 , GlassFish V3 , NetBeans

Foi apresentado o Glassfish V3 que vem com a opção de instalar um container EJB e plugin para o NetBeans. Em seguida foi destacado que na nova especificação de EJB s ( EJB 3.1 )um cliente pode invocar um session bean de maneira síncrona ou assíncrona. Invocações assíncronas são as novidades que nos permite efetuar uma chamada a um método remoto ou seja um metódo assíncrono que leva a assinatura @Asynchronous e não precisarmos esperar o seu retorno, a assinatura do método deve ser void, ou o método pode retornar um objeto do tipo java.util.concurrent.Future que fornece métodos para verificar se o retorno já chegou permitindo verificar as exceções ou cancelar a chamada ao método durante a sua execução.

Outra novidade comentada com relação ao EJB 3.1 foi o fim das interafces para objetos locais, ou seja, o cliente que irá chamar o método deve estar na mesma JVM. Um session bean sem interface é uma variação de um EJB local, expondo os métodos públicos da classe bean sem utilizar uma interface de negócio separada para isso. A referência para o Bean sem interface pode ser passada como um parâmetro, método de uma classe ejb sem interface ou retorno de uma interface de negócio local. A implementação do contêiner para estes Beans é a mesma que fazemos quando acessamos um método qualquer de uma classe pela referência, o método de negócio da instância do session bean e seus interceptors são invocados conforme necessário. Somente os métodos públicos da classe bean podem ser invocados através do Bean sem interface. Invocar métodos com outros modificadores lançarão javax.ejb.EJBException. Assim fica mais simples criar EJBs, o código fica mais limpo sem as interfaces e a programação mais próxima de objetos POJO, mas não podemos usar operador new para instaciar objetos, podemos usar apenas jndi ou injeção. A palestra sobre EJB falou sobre utilizar JPA (Java Persistency Api) uma api para persistência de dados em java, que eu particularmente acho bem interessante. E falou também sobre AOP Aspect-Oriented Programming recurso com o qual é possível fazer coisas bem interessantes como separar o log da camada de lógica de negócios.

NetBeans

A nova verão do NetBeans possui muitas novas funcionalidades como a possibilidade de editar códigos em Ruby, C/C++ e PHP que são alguns dos destaques assim como o debug de código javascript e o fato de estar mais leve. A versão completa tem 183 MB e já vem com o servidor do Apache Tomcat. O objetivo é combater o Eclipse que possui cada vez mais usuários.

PHP – Quercus Quercus é uma tecnologia, open-source, para implementação da linguagem PHP. Os desenvolvedores podem utilizar PHP sem ter que instalar o interpretador padrão PHP já que o Quercus assume o papel de motor do PHP. Quercus implementa PHP 5 e possui internacionalização / localização (i18n/l10n). Quercus nativamente suporta Unicode e a nova sintaxe Unicode do PHP 6. Quercus implementa uma crescente lista de extensões PHP (APC ou seja, iconv, GD, gettext, JSON, MySQL, Oracle, PDF, Postgres, etc). Na minha opinião muito interessante para migrações PHP – JAVA e também já ouvi falar em MVC utilizando Quercus onde o View seria feito em PHP e os demais em JAVA o que geralmente é usado como parte de um processo de migração PHP – JAVA.

Diamond Powder

O desenvolvedor de MIDlets deve conhecer bem LCDUI e RMS – duas APIs fundamentais do profile MIDP. Enquanto LCDUI é usado para a construção de interfaces simples, RMS efetua a persistência de dados no dispositivo. Muitas vezes uma aplicação MIDlet, dentre outras responsabilidades, tem que implementar funcionalidades de coleta de dados. Coletor de dados é o componente de software que, auxília o usuário a tomar notas de informações, além de gerenciar o armazenamento e posterior recuperação das mesmas. Diamond Powder é um framework open source para Java ME que acelera a criação de coletores de dados em aplicações baseadas em MIDlets. Um coletor de dados gerencia uma seqüência de formulários, com campos de texto, calendários, listas de opções e telas de help. Para descrever um coletor de dados o Diamond Powder utiliza um formato de configuração bastante simples e direto montando o formulario com campos para entrada de dados em tempo de execução, caso seja necessária alguma alteração é possível entregar uma nova versão de um schema em tempo de execução (via SMS, HTTPConnection, …) para o MIDlet, dispensando o redeployment do mesmo.

Super Crud

Uma ferramenta open source, claro que gera um CRUD bem customizado. Funciona on line e trabalha com tecnologias como JSF É possivel clonar e/ou herdar a arquitetura de outros desenvolvedores , a comunidade já possui 52 desenvolvedores e pretendem incluir o diamond powder futuramente

Ajax

Após a introdução que explica o que é o ajax ,a sua importância e o quanto este esta sendo utilizado nos dias atuais foram citadas diversas ferramentas para trabalhar com ajax como DWR , GWT , Jquery entre outras.

JQuery é um framework java para trabalhar com ajax assim como dwr e os demais citados acima, alem de todas as vantagens de trabalhar com ajax foram mostradas algumas vantagens do jquery JQuery possui ferramentas úteis para a manipulação de históricos de páginas. Ou seja, a cada evento ocorrido na mudança de conteúdo ele automaticamente adiciona um momento” no histórico. Trabalha com handlers, animações, eventos, e interações Ajax Facilidade de uso e portabilidade Plugins como LightBox

Comet e Ajax – foi exibida a técnica de Push Ajax, onde o servidor envia informações ao browser sem requisição do usuário.

JMaki – um conjunto de widgets ajax prontos para serem utilizados em páginas web Foram exibidos dois exemplos: Um deles eram exibidas fotos em dois browsers e quando alterava -se em um a foto era trocada no segundo browser também O segundo exemplo foi um jogo da velha onde cada usuário poderia jogar em um browser e dois veriam as mesmas alterações pois a jogada de um aparecia em um browser e vice – versa.

JAVA SE 6 Update 10

a caracteristica mais citada e mais interessante na minha opiniao foi o download do JRE on demand, onde não é necessário instalar todo o JRE , apenas as bibliotecas necessarias para a aplicação, podem ser adicionadas mais bibliotecas com o tempo se necessário podem ser utilizados arquivos sh , bat e js para este fim.

JAVAFX

Uma plataforma open source para desenvolvimento em java onde é possivel criar animações e aplicativos ricos para internet e interação com o usuário. Oferece todos os recursos encontrados em swing java, trabalha com cenas, frames e timelines , possui as mesmas opções de deploy de uma aplicação comum , um sistema JavaFX Mobile para dispositivos móveis e uma linguagem própia chamada JAVAFX Script

JavaFX Mobile é um novo sistema operacional baseado no kernel do Linux e com uma JVM portátil que pretende levar o Java ao mercado dos smartphones

JavaFX Script é uma linguagem de programação de script e orientada a objetos , diferente do java comum para o desenvolvimento de interfaces Swing/AWT/Java2D de forma mais fácil com sintaxe simplificada. Já existem plugins para NetBeans e Eclipse

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: