Archive for the ‘Dicas’ Category

MegaNão – Diga não ao AI-5 Digital

junho 25, 2009

Caros colegas,

Estou aqui no FISL 10 (Porto Alegre – RS), na palestra do Richard Stallman (FSFLA: Fundación Software Libre América Latina) e achei muito interessante o site citado pelo pessoal, sobre o MegaNao. Alguns dos ativistas do movimento estiveram presentes e houve um debate esclarecedor sobre a PL 84/99, a famosa “lei azeredo”, que priva a liberdade de compatilhamento de conteúdo, em uma maneira geral. Não deixe de se informar sobre a questão.

Outros muitos palestrantes, em cima do tema do FISL 10 desse ano (“liberdade”) citaram a liberdade de expressão por código como indispensável.

Entre no site do MegaNao e faça o apoio ao movimento, mas antes de tudo: fique esclarecido dos projetos de lei que afetam Open Source.

Até mais!

P.S.: Também publicado no Templário da Tecnologia.

Anúncios

Loucura, loucura, loucura!

junho 4, 2009

Dia 13 de maio, logo após o Scrum Gathering, fui a uma palestra da Semana de Empreendedorismo da FGV. Neste evento, diversas pessoas, dos mais variados setores, são convidadas para falar sobre empreendedorismo. O convidado da vez era Luciano Huck. Sim, ele mesmo.

Muitos me perguntaram o que eu iria fazer lá numa palestra do Luciano Huck. O que ele tem a ver com empreendedorismo? Mas, já já explico! Antes da palestra começar, auditório lotado e fila para entrar, muita gente. É impossível negar o poder da TV.

Antes de mais nada, ele comentou algo que concordo. Acho empreendedorismo uma palavra muito pomposa, metida à besta. Para mim, o negócio é mais simples : “Botar para Fazer!”

Gostei muito da palestra. Não deu nenhuma fórmula mágica para o sucesso, mas foi uma boa sequência de toques que poderiam ser resumidos em: “Quer empreender? Então trabalhe, tente, ouse, se mexa!”

Nos próximos parágrafos, tentarei passar um pouco do que foi a palestra:

E o que ele tem a ver com empreendedorismo?

Ele começou a sua vida como empreendedor. Era aluno da Faculdade de Direito do Largo São Francisco, mas aquela não era a praia dele. Trabalhou em rádios e foi dono de casas noturnas. Depois começou a sua vida na TV, saindo de um programa de 10 minutos na noite da TV Gazeta, passando pela Rede Bandeirantes até chegar na Globo.

E hoje, tudo que for negócio relacionado com conteúdo interessa para ele! Ele não sabe como será a TV no futuro, mas o bom conteúdo sempre terá o seu lugar.

Roube!

Gostou de algo? Roube! Leve para outro lugar!

A frase abaixo eu roubei da palestra dele e ele roubou de Paul Arden.

“Roube de qualquer lugar que resulte em inspiração ou incendeie sua imaginação. Devore filmes, músicas, livros, pinturas, poemas, fotos, conversas, sonhos, árvores, arquitetura, placas de rua, luz e sombras. Escolha para roubar apenas coisas que falem direto à sua alma. Se fizer isso, seu trabalho (e roubo) será autêntico. A autenticidade é inestimável. A originalidade não existe. Não se dê ao trabalho de ocultar seu roubo. Celebre-o se quiser. Lembre-se o que Jean Luc Godard disse: “Não importa de onde você tira as coisas – importa é para onde você as leva “

Roube e dê o crédito a quem você roubou!
Ele é da turma da fumaça!

Acho que ele até é amigo do Marcelo D2 e a turma do Planet Hemp, mas não era isso o que ele queria dizer. Mas sim que o que ele trabalha com criação, com idéias.E isto é bom e ruim:

  • Bônus: Inventa coisas, livre.
  • Ônus: Não deixará nada para seus filhos.

Na sequência da palestra ele mostrou alguns itens que são importantes para se obter sucesso:

Harmonia

Não carregue mágoas pessoais, minimize os atritos e saiba ouvir. Ninguém tá dizendo que será fácil, mas é necessário para que não diminua as suas possibilidades, feche portas. E tenha coragem de delegar para os outros, não tente fazer tudo sozinho!

Ele citou o seu próprio exemplo na Rede Globo. Os dois primeiros anos foram muito difíceis. Ele trouxe a sua própria equipe da Bandeirantes, eram vistos como um organismo estranho na Rede Globo. E eles não faziam nenhuma questão de se integrar.

Depois de 2 anos, um diretor muito antigo na Globo conversou francamente com ele: “Luciano, aqui na Globo você tem dois caminhos, para cima ou para fora, qual deles você quer?”. É claro que ele queria o primeiro. E este mesmo diretor o ajudou a utilizar melhor a máquina da Globo, se integrar e minimizar atritos.

Time

Saiba montar o seu time.

O Luciano Huck achava que fazia tudo melhor que todo mundo, mas com o tempo, foi vendo que não era bem assim. Ele citou algumas pessoas que compõe a equipe dele, gente em quem ele acredita. É necessário encontrarmos as pessoas que tem algo mais a oferecer e trazê-las para nosso time.

Entre os exemplos de talentos que ele trouxe para o time dele está o Kibe. Todo mundo que usa internet há algum tempo, já deve ter recebido algum e-mail com alguma piada criada pelo site KibeLoco.

Você pode até não ter gostado de todas, mas é inegável que são muito criativas, ácidas e sempre tratando de algum assunto do momento. Ele foi atrás para ver qual era a equipe do site e descobriu que tudo era feito por uma pessoa só, o Kibe. Ele contratou o cara, que é muito bom, e comprou o site.

Deu exemplo também de pessoas que se formaram e cresceram na própria equipe. Este é um modelo que acredito bastante: desenvolver a capacidade das pessoas!

Criatividade

Não é só magia! É fruto de treinamento e raciocínio.

É importante questionar os pontos de vista usuais, criar um bom grupo de discussão, trabalhar muito e ter acima de tudo bom senso.

Como exemplo de criatividade citou Steven Spielberg e o famoso caso da filmagem do Indiana Jones. Ele tinha o orçamento apertado para um filme grandioso. Em uma das maiores cenas do filme, ao ar alivre e com milhares de figurantes, um problema: Harisson Ford estava com sérios problemas estomacais, mal parava em pé! Não aguentaria a cenas de luta que estava prevista para ele! Veja como Spielberg resolveu:

Foco

Tenha foco!

Não quer dizer que você tenha que fazer uma coisa só de cada vez. Você até pode pensar em 20 coisas diferentes no mesmo dia, mas tenha foco cquando estiver fazendo cada uma delas. Quando é necessário fazer trabalho braçal e prático, é fundamental ter foco absoluto e prioridades.

O pensamento pode ir longe!

Para isto é preciso ter referências.

Referência é tudo. É muito importante você ter como referência pessoas que você admira e que foram importantes em sua vida. Ele citou como referências dele: Nizan Guanaes, Daniel Filho, Boni e Fred Wagner.

E coloque o que você pensa de pé!

O prazer de contar histórias

Existem formas e formas de se contar histórias. Ele mostrou o trailer nacional do Tropa de Elite e o trailer feito para divulgação lá fora. É possível sempre achar um ponto de vista diferente do que as pessoas normalmente têm. E isto que eles tentam no programa dele e que fazem muito bem no trailer americano.

Uns conselhos finais

  • Entregue mais do que esperam de você.
  • Não se limite ao mundo imbecil, ou melhor, só ao mundo que você conhece. Todas as pessoas têm história para contar.
  • O Terceiro Setor vai crescer muito, todas as empresas tem que cuidar de sua imagem. Ele tem o Instituto Criar e precisa de gente competente.

Foi uma palestra muito boa e valeu sair apressado do Scrum Gathering.

Aumentando a produtividade com o SSH Config File

abril 23, 2009

Quem trabalha administrando um parque grande de servidores Linux, deve achar meio chato ficar digitando o comando ssh username@host para conectar em cada máquina (eu pelo menos acho, pois temos mais de 30 servidores, e temos que connectar diariamente em cada um deles várias vezes), o arquivo de configuração do cliente SSH conta com uma funcionalidade que pode nos ajudar muito a tornar esta tarefa mais simples e rápida.

Utilizando o arquivo de configuração podemos cadastrar todos os servidores nele, neste cadastro atribuimos um Nome para cada host, e configuramos qual o endereço, porta, e usuário que deve ser utilizado para conectar no Host, desta forma para conectar via ssh em um Host cadastrado é apenas necessário utilizar o comando ssh Host ou invés de ssh username@host, o cliente ssh identifica o nome do Host pega as informações no arquivo de configuração e faz a conexão no endereço, porta, e com o usuário configurado para aquele host, sendo necessário você apenas digitar a senha para finalizar a conexão.

O arquivo de configuração do SSH armazena vários tipos de configurações relacionadas a o SSH Client, neste post irei focar apenas na configuração de Hosts, portanto não entrarei em detalhes dos outros parametros de configuração do mesmo.

Existem 2 arquivos de configuração do SSH, um global que é válido para todos os usuários de uma máquina, e um privado de cada usuário, os parametros e a forma de configurar os dois arquivos são iguais, a única diferença é que um é válido para todos os usuário e o outro apenas para um usuário, abaixo descrevo onde cada arquivo pode ser encontrado:

Publico:

/etc/ssh/config

Privado:
/home/.ssh/config

Abaixo segue um exemplo de como configurar o arquivo:
Host lab-server-001
HostName 192.168.0.21
User root
Port 22

Nesta configuração de exemplo estamos definindo o nome do Host como “lab-server-001”, o memso está no enedereço ip “192.168.0.21”, a porta ssh é “22”, e o usuário que utilizamos para conectar nele é o “root”.

Com esta configuração para connectar neste servidor basta digitar:
asouza@ant-note:~$ ssh lab-server-001
root@192.168.88.17's password:
Last login: Fri Apr 24 00:07:25 2009 from 192.168.191.104
[root@ipx017 ~]#

Aumentando ainda mais a produtividade:

  • Uma das grandes vantagem de fazer a configuração de todos os Hosts que você trabalha é que no Ubuntu o bash faz autocomplete dos Hosts cadastrados, desta forma eu posso apenas digitar “ssh l” pressionar “tab” e o bash vai autocompletar o nome do host (exatamente igual ele faz para os comandos), veja o video abaixo:
  • A outra é para quem utiliza o Gnome-do, ele conta com um plugin do SSH que interpreta o arquivove de configuração desta forma fica muito simples você connectar visualmente no servidor desejado, veja o video abaixo:

Eu criei um arquivo de configuração com todos os servidores que nós da Voice normalmente conectamos (desta forma é só fazer o download do mesmo no enedreço “~/.ssh/config” e desfrutar as novas facilidades adicionadas, este é só para o pessoal da Voice).

Buscando Documentação em um Sistema Linux

setembro 11, 2008

Quinta-feira, dia de um delicioso macarrão com frango. Isso me inspirou a escrever. Que tal um pouco sobre documentação? Documentação sobre … ? Linux uai!! = ))
Hoje veremos como pesquisar sobre aplicativos e programas dentro do próprio sistema Linux!

Introdução
O Linux vem crescendo porque a comunidade que contribui para o sistema e sua documentação não tem medo ou receio de compartilhar isso e coloca o que foi desenvolvido no próprio sistema. Ou seja, antes de recorrermos a ajuda de outras pessoas, devemos lembrar que podemos as respostas que precisamos em nosso próprio sistema.
Toda essa documentação que possuímos no sistema, está disponivel aqui ( pergunta de LPI isso hein… ).
Bom, vamos ao que interessa!

Comando Help
O comando help fornece uma ajuda rápida e útil para saber que opções podem ser usadas com os comandos internos do shell.
Para mostrar todos os comandos disponíveis
#help

Para mostrar uma ajuda rápida de comandos internos
#help [comando]

Para comandos externos
#[comando] –help

O MAN
Man é o responsável por trazer a documentação mais completa sobre determinado comando ou arquivo de configuração. Os manuais são divididos em nivéis.

* man 1 – Programas executáveis e comandos do shell.
* man 2 – Chamadas de sistema (funções providas pelo Kernel).
* man 3 – Chamadas bibliotecas (funções como bibliotecas do sistema).
* man 4 – Arquivos de dispositivo (localizados normalmente em /dev).
* man 5 – Arquivos de configuração e convenções.
* man 6 – Jogos.
* man 7 – Variados (incluindo pacotes de macros e convenções).
* man 8 – Comandos de adminstração do sistema (normalmente usado somente pelo root).
* man 9 – Rotinas de Kernel.

Para usar é fácil
#man [comando]

Podemos também especificar o nivel
#man [nivel] [comando]

Comando Info
As “info pages” são como as páginas de manuais, porém são utilizadas com navegação entre as páginas. Elas são acessadas pelo comando info.
O comando info é útil quando já sabemos o nome do comando e só queremos saber qual a respectiva função.
Para listar todos os manuais
#info

Para especificar um manual de um comando
#info [comando]

Para sair do comando info aperte “q” (sem aspas).

Comando Apropos
O apropos é utilizado quando não se sabe qual documentação acessar para um determinado assunto, mostrando as man pages que contém a palavra-chave que foi especificada.
#apropos [palavra-chave]

O apropos utiliza um banco de dados construído com o comando catman. Para contruir o banco de dados…
#catman

Comando Whatis
Tem basicamente a mesma função do apropos, porém com buscas mais específicas. O apropos busca as páginas de manuais e descrições de maneira mais genérica. Já o whatis busca somente o manual com o nome exato da palavra pesquisada.
#whatis [comando]

Comando Whereis
Usado para mostrar a localização do binário do comando, do arquivo de configuração e a localização das páginas de manuais do determinado comando ou arquivo.
#whereis [comando]
ou
#whereis [arquivo]

Comando Which
O comando witch é bem semelhante ao comando whereis, só que mostra apenas a localização do binário do comando.
#witch [comando]

Howto’s
Os howto’s são documentos que focam a necessidade específica, como montar um firewall, instalar uma webcam, configurar placas de som, configurar um servidor web entre outros. Normalmente esses documentos são instalados juntamente com a aplicação. Algumas vezes é necessário instalar um pacote específico para essa documentação.
O diretório dos howto’s é /usr/share/doc.

Por exemplo, se queremos saber como configurar um servidor Samba, podemos consultar um exemplo prático…
#/usr/share/doc/samba

Espero que tenham gostado =)

Abraço

Wesley Volcov

Usando o Google de melhor forma.

setembro 5, 2008

Bom galera, ai vai umas dicas sobre como utilizar o google, para fazer buscas mais específicas, e obter mehlores resultados!

1 – Aprimore suas pesquisas no Google

Você pode aprimorar suas pesquisas usando operadores (+ e -):

palavra +palavra2: procurará páginas que contenham palavra e palavra2;

palavra -palavra2: mostrará páginas que tenhama palavra, mas que não tenha palavra2 (não dê espaço antes do segundo termo);

É possível combinar as operações. Por exemplo, palavra + palavra2 -palavra3.

2 – Pesquise pela frase exata

Se você digitar a frase determinação de um trem, o Google mostrará páginas que tenham as palavras determinação, de, um, trem, mesmo que não esteja nesta ordem. Para procurar a frase exata, digite-a entre aspas: “determinação de um trem”.

3 – Faça busca por sistema operacional

Pouca gente sabe, mas o Google tem páginas para sistemas operacionais. Assim, se você é usuário de Linux ou Mac, por exemplo, poderá buscar assuntos específicos para esses sistemas. Veja lista de páginas:

Google para Palm: http://www.google.com/palm

Google para Linux: http://www.google.com/linux

Google para Mac: http://www.google.com/mac

Google para Windows: http://www.google.com/microsoft

4 – Faça cálculos no Google

Fazer cálculos no Google é simples. Digite, por exemplo, 42 + 20, 18 * 3 (multiplicação), 14 / 8 (divisão) ou 4 – 3 e veja o que acontece. O Google consegue realizar desde operações básicas até as mais complexas. Basta digitar o tipo de cálculo desejado. Veja a lista:

Digite e o Google fará
5 ^ 3 = 5 elevado a 3
sin(45 degrees) = o seno de 45 *
tan(45 degrees) = a tangente de 45 *
cos(45 degress) = o cosseno de 45 *
sqrt (90) = a raiz quadrada de 90
ln (13) = o logaritmo base e de 13
log (1,000) = o logaritmo base 10
50! = o fatorial de 50
4th root of 64 = o cálculo da quarta raiz de 64 **

* O degrees não é obrigatório. Digite-o somente quando desejar o valor em graus. Sem o degrees, o valor é fornecido em radianos.

** Para 1, deve-se usar st em vez de th. O mesmo vale para 2, onde deve-se nd e 3, onde deve-se usar rd. Para 4 e os demais números, deve-se usar th.

Obs.: os valores usados na lista servem de exemplo. Obviamente você pode utilizar os valores que quiser.

Você não precisa usar cada operação por vez. É possível fazer combinações. Por exemplo, digite (14+554)*ln(13)/tan(90)+ 1. O Google dará como resultado -729.197942.

5 – Faça conversões

É possível fazer conversões no Google. Veja a lista de conversões:

Digite e o Google converterá
30 cm in ft = 30 centímetros em pés
50 km in miles = 50 quilômetros em milhas
10 kg in lb = 10 quilos em libras
VI in arabic numerals = VI em número arábico (o que utilizamos hoje em dia)
2004 in roman numerals = 2004 em números romanos

Em todos os casos, é possível que você faça as operações de modo contrário. E há outras conversões. Basta saber os nomes das medidas em inglês e experimentar no Google. No lugar dos valores, você pode usar equações. Por exemplo, 10/5+459 in roman numerals. O Google mostrará CDLXI.

6 – Dicionário

É possível usar o Google como dicionário. Para isso, digite a palavra define, seguida de : (sinal de dois pontos) mais o termo. Por exemplo, suponha que você queira saber o que é Linux. Então, no Google, digite: define: linux. Agora, é só ver o significado.

Espero que tenham gostado : )

Wesley Volcov

Feed do blog

setembro 5, 2008

Os blogs há um bom tempo deixaram de ser diários pessoais, para se tornarem algo parecido com colunas de jornais, criando artigos em comunidades e tornando-se repótirios de informação. Na forma tradicional de fóruns, os usuários obtinham uma lista com os links normalmente ordenados de acordo com a data da última atualização. Quando os blogs começaram a se tornar populares, poucas pessoas se sentiam confortáveis em ter que viajar de página a página para saber quais haviam sido atualizadas.

Mas agora a montanha vem a Maomé. [1]

Os membros deste grupo já devem saber, mas vamos ao “for dummies”. Quando um site disponibiliza o seu feed, você recebe a atualização direto no seu agregador. Assim, eu posso assinar o feed do blog Ensinar [2] e quando ele for atualizado aparecerá na tela do meu agregador junto das atualizações dos outros sites que eu assino (gizmodo, cnn, hightechlive, idgnow, etc).

Como para fazer parte deste grupo é necessário ter uma conta Google, acho que muitos usarão as ferramentas disponíveis online pelo mesmo. Clicando no link para assinar o feed do Ensinar [2], você será questionado sobre que serviço usar, então pode selecionar Google, e escolher entre duas opções. O iGoogle [3] talvez seja a mais popular, podendo customizar a página principal do site de busca para acrescentar aplicativos na forma de caixas de maneira bem intuitiva. Já o Google Reader, mais limpo e sem tantas firulas, é feito exatamente para assinar feeds e se parecer com um portal de notícias.

E se você não quer recorrer a um agregador online, use seu navegador de internet. Olha ali na barra de endereços, está vendo um ícone laranja como este [5] ? Então clica no dito cujo e veja a mágica acontecer. Você escolhe como organizar assim como os favoritos. Difícil né?!

That’s all folks.

Petri Nocentini

Fonte:

[1] http://pt.wikipedia.org/wiki/Feed
[2] https://ensinar.wordpress.com/feed/
[3] http://www.google.com.br/ig
[4] http://www.google.com.br/reader/view/#directory-page
[5] http://upload.wikimedia.org/wikipedia/commons/4/43/Feed-icon.svg